24
Mar 14

Boa noite.

 

25 de dezembro de 2010 e "publicava" aqui neste mesmo espaço o meu primeiro post. Por mera casualidade quis o destino que o post 100 fosse o último.

 

É isso mesmo, três anos e poucos meses depois, dou por terminado este espaço de cultura e lazer.

 

Quando iniciei esta brincadeira pretendia ocupar algum do tempo livre que dispunha, escrever sobre o que fosse actual, sobre o que fosse menos actual, escrever sobre o meu quotidiano e também escrever com uma visão crítica do quotidiano alheio.

 

E aqui escrevi sobre tudo, de assuntos comuns a todos a assuntos da minha vida privada, de uma autocrítica a uma critica dura a muitos males que me rodearam em determinados momentos da minha vida.

 

Mas como muita coisa na vida, há momentos em que determinadas coisas deixam de fazer sentido, e este blog é uma delas. Não porque tenha deixado de ter prazer em escrever, mas porque considero que um blog deve ser um espaço activo, um espaço com informação que cative, que desperte a atenção, que dê motivos a quem o visita para voltar e principalmente um espaço actualizado quase diariamente.

 

E a verdade é que por estes dias não tenho tido tempo, não tenho tido capacidade, não tenho tido inspiração para manter este espaço vivo, activo.

 

1820 visualizações em três anos e pouco a 100 post não é uma marca assombrosa, mas deixo aqui o meu obrigado a todos os que por aqui passaram.

 

Este é um ciclo que se encerra, o primeiro, outros se irão seguir mas a seu tempo.

 

Bem hajam e até um dia ... quem sabe noutro blog qualquer.

 

Com os melhores cumprimentos,

publicado por Marco às 23:19

18
Fev 14

Boa noite.

 

No preenchido quotidiano rotineiro eis que surge o idiota aventureiro. Entre o risco e o sonho pois então, resolve abrir mais uma porta porque não.

 

Correndo atrás de um velho sonho de pequeno, vai a atrás do conhecimento num belo e histórico monumento. Tão grande é a história, tão grande é a responsabilidade que até hoje duvida da realidade.

 

A cada passo dado em tamanha grandeza, o idiota pensa então, será que no meio desta incerteza o esforço não será em vão. Em vão não será, pois conhecimento ficará, desejando o pequeno idiota conseguir abrir tamanha porta.

 

Perante a grandeza do cenário, o idiota abre a boca que nem um otário, sentindo-se demasiado pequeno perante a enormidade histórica, é com medo e humildade que enfrenta a realidade.

 

O idiota corre atrás do sonho, com apoio dos que ama, apesar do prejuízo ser maior que a fama, a fama para o idiota de nada vale, pois o importante conseguiu, entrar num mundo que só em sonhos viu.

 

Com a certeza que o amanhã, será igual ao dia de hoje, para o pequeno idiota independentemente do tamanho da porta. No entanto tanto faz, pois o sonho irá cumprir, deixando pois então algumas pessoas a sorrir.

 

Numa terra de cegos quem tem um olho é rei, vence sempre quem esperto é perante um burro idiota. No entanto e mesmo sendo um mundo de espertos, um dia dirão: o idiota abriu aquela porta.

 

Cumprimentos,

 

 

 

 

publicado por Marco às 23:42

29
Jan 14

Boa noite.

 

Este início de semana teve um sabor especial, teve um início com um conjunto de sensações que até hoje não tinha tido o prazer de sentir.

 

A minha filha vai fazer cinco anos em abril e, pela primeira vez, tive possibilidade de a preparar para a levar para a escola, de a ir levar de manhã à escola.

 

Funções tão simples e habituais em tantos pais e encarregados de educação que tiveram para mim um significado especial. Senti uma alegria enorme, senti uma utilidade que não sentira anteriormente, senti aquele carinho matinal que tanto sinto falta, que ela tanto sente falta e que pela ausência somos privados.

 

Este gesto tão simples como importante, tão simples como trabalhoso, não faz parte da minha rotina diária. O meu ritmo diário não me permite fazer parte deste bocadinho no processo de desenvolvimento da Maria, mais um bocadinho entre outros tantos.

 

A verdade é que estes dois dias deram-me a oportunidade de estar mais presente, de perceber melhor o que é o trabalho diário da mãe, confirmar o trabalho da mãe, e que eu felizmente ou infelizmente não consigo efectuar, confesso, senti inveja{#emotions_dlg.happy}.

 

São momentos de proximidade que não têm valor, que são fundamentais para o processo de desenvolvimento da relação pai/mãe-filha, são momentos fundamentais e tão curtos na sua existência que os tornam tão especiais mesmo que imensamente simples.

 

O futuro é já ali e a Maria cresce dia para dia, desenvolve, torna-se mais autónoma, mais independente, no entanto, por motivos profissionais, menos profissionais, por minha culpa, sinto que estou a perder, de uma forma ou de outra, o processo de desenvolvimento da Maria.

 

Terei de compensar noutros momentos do dia a ausência forçada da manhã … terei de conseguir compensar a falta destes pequenos momentos matinais com outros de qualidade tão ou mais especial que estes.

 

Sinto que estou a perder e sinto que não quero perder estes pequenos grandes momentos, pois amanhã ela não precisará dos pais e nós não vivemos a sua infância como deveríamos, não tivemos presentes como deveríamos, não cumprimos como deveríamos.

 

Cumprimentos,

publicado por Marco às 19:30

06
Jan 14

Boa noite.

 

Tradicionalmente gosto de passar a quadra natalícia e na passagem de ano em casa, no recanto do lar rodeado das minhas mulheres e de todos os familiares que se queiram juntar em minha casa.

 

Este ano a tradição cumpriu-se quase na totalidade, e digo quase porque a passagem de ano não foi em minha casa.

 

Num ano particularmente difícil para a Patrícia, pensei em compensá-la, se isso for possível, com uma pequena viagem.

 

Eis que partimos de Lisboa em direcção a Orly, num misto de satisfação e de preocupação, não fosse a primeira viagem de três pessoas queridas, uma delas o meu afilhado, mas mais importante ainda a minha menina de quatro anos de idade, Maria, e a outra Maria de 85 que é a minha avó.

 

Com 81 anos de diferença mas com a mesma vontade de ir de avião pela primeira vez. Posso dizer com satisfação que correu tudo na perfeição.

 

Orly era o destino do voo, Mormant era o objectivo final desta viagem. Em Mormant vive a minha querida irmã, com o seu marido e filho, meu sobrinho. Vila calma, tranquila, com uma qualidade de razoável, boas acessibilidades, bons equipamentos, mas principalmente uma vila onde se respira tranquilidade.

 

Enquadramento feito, a passagem do ano foi em casa da minha irmã, rodeado das minhas duas mulheres e de todos os familiares que puderam estar presentes. Foi bom, foi muito bom, deu para descansar, deu para brincar, deu para conviver, deu para voltar a estar com a minha irmã e também com o meu pai.

 

A distância trouxe a ausência e com ela a saudade, pelo que este fim de ano diferente permitiu-me matar saudades de dois entes muito queridos, permitiu-me "compensar" a Patrícia e permitiu-me recarregar energias para um 2014 que será tudo menos fácil.

 

Para trás ficou uma fabulosa passagem de ano, em Mormant junto de pessoas que amo bastante, perto de Paris a cidade luz, a cidade do amor, perto da cidade da fantasia mas principalmente com muita alegria, saúde e felicidade.

 

Um beijinho e um abraço de saudade, e novamente um enorme agradecimento à minha irmã por me ter acolhido em sua casa de braços abertos.

 

Cumprimentos,

 

 

 

 

publicado por Marco às 21:46

24
Dez 13

Bom dia.

 

A magia do Natal está presente, é hora de confraternização familiar, é hora de paz, alegria e felicidade. É também hora de magia, crianças e adultos que hoje são crianças vivem a magia do Natal, a magia do Natal.

 

É hora também de desejar um Feliz Natal à minha mulher Patrícia e Maria que dão uma cor especial ao meu Natal.

 

Um Feliz Natal para toda a minha família, que são sempre a base sólida de apoios em todos os momentos.

 

Um Feliz Natal para todos os meus amigos que são um pilar demasiado importante para desprezarmos ao longo do percurso que é a vida.

 

Um Feliz Natal para todos os que, de forma mais ou menos próxima, tenho o gosto de conviver, conhecer, partilhar vivências.

 

Não quero deixar de desejar um Feliz Natal para todos aqueles que por mim nutrem menos simpatia, não sou cínico ao ponto de pensar que agrado a todos, no entanto não sou egoísta ao ponto de não lhes desejar um Feliz Natal.

 

A todos um Santo e FELIZ NATAL.

 

{#emotions_dlg.painatal}{#emotions_dlg.painatal}{#emotions_dlg.painatal}{#emotions_dlg.painatal}

 

 

Cumprimentos,

 

 

 

 

publicado por Marco às 11:38

Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO